domingo, 21 de agosto de 2016

50 coisas sobre mim... parte 1

1 Meu nome é Maria Helena, e por mais que eu nunca diga que meu nome é Maria, eu amo meu nome, só que minha vida teve muitas fases, acredito que é assim com todo mundo, embora nem todos levem tão a sério quanto eu, e não ser chamada de Maria, ou de Maria Helena tem haver com o fato de eu não me sentir mais a mesmo doce e inocente Maria, nem a polêmica Maria Helena, agora sou simplesmente Helena Leen, e por sinal Leen não é meu sobrenome.

2 Eu fui uma criança extremante feliz, tive pais maravilhosos que me ensinaram que com amor tudo é possível, me ensinaram a amar a Deus porque ele é bom e não porque ele vai me castigar, a amar as pessoas porque são almas preciosas e não porque podem fazer algo por mim, amar e respeitar os animais e todos os seres viventes porque somos irmãos.

3 Meu senso de justiça é uma das minhas características marcantes, não suporto o "mal feito" não consigo aceitar o que não é justo, muitas vezes me complico por isso.

4 Quase tão forte quanto meu senso de justiça, é a minha tolerância, se não fosse ela eu viveria em pé de guerra com o mundo, porque as atitudes das pessoas nem sempre são justas, mas da mesma forma que eu mesma cometo erros, julgamentos e injustiças ainda que sem querer, e Deus usa de misericórdia e tolerância comigo, o mínimo que posso   fazer é retribuir ainda que na minha insignificância a mesma tolerância com as pessoas, já que todos nós somos passiveis ao erros, devido nossa natureza humana,

5 Sou apaixonada pela vida, pelas pessoas, pelos animais, pela natureza, por tudo de bom que me cerca, dificilmente você me verá azeda, de mal com a vida, reclamando de algo, sou o tipo de pessoa "fofa" veja bem, eu disse fofa, não disse perfeita.

6 Eu sempre gostei de escrever, sempre vivi em mundinhos a parte, cheios de personagens que muitas vezes escapavam para o meu mundo real, para o terror das pessoas que me rodeavam, muita gente tinha medo dos meus amiguinhos imaginários, diziam cada besteira para minha mãe e acreditem já me chamaram de anti cristo quando eu era apenas uma menina. Mas como tudo na vida passa, antes mesmo da adolescência eu ja era vista apenas como uma garota inteligente e criativa.

7 Eu já tive um grupinho estilo "Stranger Things" e pena não poder citar o nome deles, nem tenho mais intimidade para isso, só posso dizer que foram tempos felizes, nossas investigações, a passagem secreta que existia dentro do galinheiro no fundo do minha casa, o Lobisomem que ficávamos esperando em toda sexta feira de lua cheia, e olha que eu poderia jurar que não era 100% imaginação.
Minha garagem parecia um quartel general, nos fundos de casa tinha um tronco de árvore caido que dava a impressão de ser um campo de treinamento militar, alias nós acreditávamos nisso, que tudo fazia parte de uma missão e um dia lutaríamos para salvar o mundo, de alguma forma isso aconteceu, cada um de nós hoje em dia luta por um mundo melhor, cada um a seu modo, o importante é que todos tornaram se pessoas de bem, e acredito que todos estejam felizes, ainda que não lembrem mais daquele tempo. Todos estão guardados aqui no meu coração e sempre estarão nas minhas orações. Por mais que eu entenda que as pessoas seguem suas vidas, eu posso dizer com uma pontinha de dor no coração, que esperava que pelo menos T7 e L5 nunca tivessem saído da minha vida, mas me contento em te los no meu Facebook, era para ser proibido certos laços de serem quebrados, não é possível que eu seja a única a carregar para a vida toda uma amizade uma parceria tão grande, que não pode ter sido só coisa da minha cabeça.

8 E por falar em seguir em frente, minha vida sempre foi uma passarela onde muitas pessoas passaram, e todas ou quase todas já me fizeram falta em algum momento da vida, Mas entendo que o mundo não gira em torno de mim, e 90% dos que saíram da minha vida, foi por minha culpa, tive fases incrivelmente irritantes.

9 Sou gordinha, digo gordinha porque já fui gordona, de corpo e de alma, e com toda a sinceridade do meu coração, isso não me incomodou tanto na vida, tirando a fase louca da escola. Alias eu era a Gorda, a Jovem pança só na escola, quando eu cruzava os portões eu era uma garota como qualquer outra, nunca deixei de partir corações, sempre me valorizei, sempre escolhi bem e só não vou me estender nesse assunto porque o maridão, que por sinal é muitooo lindo, não iria gostar, mas resumindo... nunca fui mal amada, recalcada e meus quilos a mais nunca foram uma desculpa para ser infeliz e fazer os outros infelizes, sinto um certo orgulho disso, de ter vindo de uma geração que repudiava gordinhas intacta, sem mágoas, sem dores, sem marcas, porque nunca permiti ser magoada por alguém, aprendi desde cedo que um corpo é só um corpo, e que uma pessoa é muito mais do que isso. Além do mais, as gordinhas são lindas, não só as gordinhas, as magrinhas, as cheinhas, as baixinhas, as ruivinhas, loirinhas, as negras as Índias, as mulheres são maravilhosas, e quando descobrem isso então... o mundo se rende a um sorriso confiante, um olhar determinado.
Deus deu um corpo para cada uma, cabe a nós decidirmos sobre ele, aceitar o que não pode ser mudado, melhorar o que pode ser melhorado, moldar, transformar, enfim, achar um jeito de ser feliz, porque isso é o que importa,

10 Já sofri bullying na escola, já vi uma sala de aula inteira rir de mim incluindo os professores que simplesmente me odiavam pelo simples fato de eu existir e estar ali, servindo de palhaça, atrapalhando a turma, como se ser gorda fosse um pecado mortal, ou pior, ser gorda e inteligente, gorda e atrevida, gorda e incapaz de sentir se uma coitada só por ser gorda, sim, acreditem meninas, as gordinhas nem sempre foram as rainhas como são hoje em dia, se vocês chamam o fato de uma vendedora dizer que não existe o seu tamanho de preconceito, vocês não imaginam o inferno que a alguns anos atras, para uma gordinha viver normalmente a vida, principalmente alguém como eu, que nunca permitiu que alguém ofuscasse meu brilho. O tempo da Escola foi cruel. Fico feliz em fazer parte de um mundo onde duas palavrinhas fazem a diferença; Diversidade e Inclusão.

11 Embora eu seja gordinha, ache muito bom esse empoderamento dos últimos anos, essa inclusão, valorização da mulher gorda, muito bem merecido pelos anos que passamos praticamente excluídas da sociedade, vivendo do jeito que podíamos, em um mundo feito para as magras, eu não levanto nenhuma bandeira em defesa da Obesidade. Obesidade é uma doença, que pode levar a morte, uma coisa, é ser bonita, outra coisa é ser saudável, Se você é uma gorda que se cuida que se ama, fica ligada no peso para não extrapolar, cuida da alimentação, então tudo bem, cabe a você decidir se quer emagrecer ou não, você que sabe se precisa, e se realmente quer perder uns quilinhos, mas no momento que seu corpo começa a sofrer as consequências é algo a se pensar.
No meu caso, eu prefiro dizer que não tenho nenhum compromisso em ser gorda e muito menos um compromisso em ficar magra, Meu comprometimento comigo mesma e com as pessoas que me amam é simplesmente me sentir bem,



Bom gente, me entusiasmei com essa postagem, e acabou ficando enorme, tenho consciência que vocês tem mais o que fazer na vida, portanto vou dividir em  partes, quem gostar pode interagir comigo, perguntar alguma coisa, não quer dizer que vou responder, talvez eu não possa, mas farei o possível.


Beijos      ....................................................                           Helena Leen

Amor indescritível

É você, sempre foi e sempre será, o amor da minha vida, o homem dos meus sonhos, meu mundo, meu presente de Deus.
Este é um pequeno texto que enviei ao meu marido quando estávamos namorando, tem um significado imenso para mim.


Para o amor da minha vida, 

Como posso eu te mostrar o quão amado você é? Como te fazer entender o quão profundo é o meu amor por você, amor puro e eterno.
Como te explicar o que você significa em minha vida?
Eu não posso explicar, simplesmente não posso explicar porque te dei o poder de me fazer feliz ou triste, o porque eu fiz dos teus sonhos os meus, e porque definitivamente não tenho vida alguma a parte de você. 
Como te explicar que a loucura é o sobrenome do amor e sem ela, o amor não passa de uma palavra. Desde o primeiro dia que você chegou em minha vida eu chorei, primeiro porque eu queria você, depois porque eu percebi que não seria tão fácil te conquistar, e nas outras vezes porque porque descobri que sem você minha vida seria somente abrir os olhos todas as manhãs e fecha los a noite.
Meu amor por você vai contra tudo que eu aprendi em toda a minha vida, meu amor por você não é calmo como as chuvas de setembro, meu amor por você é como um vulcão em erupção, uma explosão de sentimentos, ora grandiosos ora sujos, bons e maus sentimentos. Meu amor por você me leva do céu ao inferno  em poucos segundos, me deixa confusa sobre o futuro, porque eu escolhi que meu futuro seja seu, teus desejos, teus sonhos teus objetivos. Eu não sei muito sobre o amor, as vezes eu acho que estou fazendo tudo errado, mas quando eu olho nos teus olhos, eu deixo de me preocupar com o modo que estou levando as coisas, com o que estou fazendo, eu me torno egoísta, eu só quero ter você, não importa o que eu tenha que fazer, se meu amor é bom ou mal, isso vai além da minha razão,  eu só sei amar assim,  isso é o amor para mim, louco, egoísta, um doce pesadelo, eu não sei amar pela metade, dar apenas metade do meu coração, eu não sei selecionar só meus sentimentos bons por você, eu amo você com meus bons e maus sentimentos, com meus maus hábitos, com minha natureza ruim, porque todos os meus defeitos são partes de mim, e tudo o que eu sou pertence a você.

sábado, 20 de agosto de 2016

Lar Doce Lar

De tempos em tempos, eu esqueço desse blog, simplesmente me nego a tornar publico os meus sentimentos confusos. Desde pequena tive problemas em dividir com o mundo o que eu realmente sentia, não que eu fique muito tempo sem escrever, mas uma coisa é eu ficar lendo e relendo minhas aventuras e desventuras, outra coisa é alguém do outro lado ficar julgando, cobrando uma postura diferente, ou simplesmente encontrando os muitos defeitos que os meus textos contém. Até porque tudo que eu escrevo é exatamente como eu sou, desorganizado, bagunçado, confuso e muitas vezes sem nexo, eu mesma permito que sejam assim, as palavras  se jogam desorientadas e afoitas como aquelas pessoas solitárias que quando encontram alguém para conversar falar tanto e misturam os assuntos na ânsia de por logo tudo para fora antes que voltem ao quartinho escuro que vivem, no mundinho em que ninguém lhes escuta.
Mas hoje resolvi voltar a dividir com vocês o meu mundinho de Bob, não sei quanto tempo vai durar essa vontade, mas acho que desta vez será diferente, andei pensando, e apesar de nem tudo ser flores, também nem tudo precisa ser dor, se algumas pessoas vão me julgar, me ridicularizar, outras vão se identificar, vão curtir, e se for útil para alguém, já terá valido a pena,
Então, sejam Bem vindos ao Diário de Afrodite, eu sou Helena Leen, e em breve terei novidades, só peço um pouco de paciência, enquanto os conteúdos novos não chegam,  irei postar alguns dos meus textos, poemas , contos...  para movimentar um pouco este cantinho, Meu Lar Doce Lar.   Beijos leen



E agora?

Eu odeio amar você, queria esquecer o sorriso mais lindo que ja vi, queria que aquele furinho no seu queixo não mexesse comigo, queria saber te dizer não, te expulsar da minha vida junto com sua fraqueza suas mentiras e seu jeito imaturo de amar, queria arranjar com raiz e tudo e esquecer tudo que ja vivemos juntos, queria me sossegar em um amor tranquilo sem dores, sem muita paixão, queria ser apenas mãe e esposa, ser dona de casa, ser a mulher sem sal e sem o rímel manchado, queria ser o que eu era antes de você.
Mas aí eu me lembro das vezes que você saiu da minha vida, e lembro do vazio que ficava, sem mentiras, sem brigas sem crises de ciumes, sem emoção, sem fogo, sem borboletas dentro do estômago, sem salto alto, sem batom, sem lingerie nova, sem vontade de arrumar o cabelo, sem sal, só aquele vazio acompanhado da inércia da minha vida.



Coisas do amor...

Te amo, mesmo sabendo que não deveria amar, te quero, mesmo que por boa parte dos minutos do meu dia eu tente não te querer, não pensar na tua boca perfeita e no teu corpo esculpido a mão.
Como pode ser tão fácil e ao mesmo tempo tão difícil esquecer o contorno do rosto mais lindo que já vi? Isso sem contar com o cheiro que você tem, tudo em você é tão perfeito tão atraente pra mim, como se houvesse um imã invisível nos ligando. Nada me acende tanto, nada mexe tanto comigo, parece um tipo de magia, uma confusão que sacode meus pensamentos e me faz assim, tão louca tão dependente desse amor imperfeito, descompassado, desavergonhado, desmedido, deslumbrado... perpétuo....

Helena Leen


Como se fosse simples assim...

Cansei da tua inconstância, das tuas idas e vindas do teu mal amor.
Cansei das minhas noites mal dormidas, meus desejos não cumpridos e do meu mal humor.
Cansei da minha felicidade em tuas mãos e do meu corpo mal contentado esperando por um amor que nunca chegou.
Cansei de ter a vida dividida à alegria adiada o rímel borrado e o batom intocado.
Agora só falta convencer esse coração estúpido que te amar é um erro e apagar teu nome da minha lembrança. 

Helena Leen